quinta-feira, 14 de outubro de 2010

A minha medida







Minha medida vem das coisas poucas que passei e delas tiro minha base, minha base é tudo aquilo no que me apego pra explicar todas as coisas que me perguntam quando querem me confrontar, quem você é realmente eles dirão, eu vou mentir sempre, e eles nunca entenderam, que não é assim que se consegue uma confissão de um coração meio vão que nem o meu! Eu nunca direi quantas vezes eu chorei, em quem eu votei, se eu pequei, quantas vezes eu errei, com quantos eu dormi, porque minha historia é tão pouco interessante que nem vale um bilhete de ônibus, nem um trocado de farol, nem nada Eles só querem saber o que eu usei, com que tipo de pessoa eu andei, querem me basear no passado pra medir o tamanho do estrago que a sociedade fez em mim, com todos os seus vícios, consumismos e sadismos, pra propagar mais a idéia de culpa de todos menos a mais obvia, a minha culpa! A minha medida, das coisas que eu faço e boto a culpa na sociedade, nos meus amigos, nos meus pais, pra não dizer que foi por causa da minha curiosidade da minha falta de caráter, da minha medida errada que eu muitas vezes passei do limite.
Eu quero mesmo se irrefutável, incontrolável e mostrar toda essa duvida que eles procuram não ver, não querem se ver na gente, e nós não queremos ser espelhos do passado deles, somente passando filmes rebobinados, na nossa vidinha, ninguém vai querer saber o que eu penso. O que eu peso que medidas eu meço pra me caber nessa sociedade, e eu não estou culpando ninguém pela minha baixa inteligência pelas enchentes nas ruas alagadas. Pela fome mundial eu poderia culpar alguém? E que medida eu tomaria pra mudar a situação? Quantas coisas que não cabem na minha mão... Eu também não vou dar meu perdão por essa minha geração, eu não falo pela massa apenas por mim mesma só conheço bem o que eu consigo medir.
Pra não falar que não meço as conseqüências dos meus atos indecentes nem sou tão louca inconseqüente, alienada e carente que não consiga ver a sensibilidade de uma frase bem escrita mesmo na sujeira do fim da linha, eu só não fico medindo cada passo do caminho porque isso só deixa a estrada mais longa, mais também não sou da galera do “deixa disso” eu posso ir à luta mesmo sem chances de vitoria mais reconheço na medida certa quando uma guerra esta perdida. Eu quase sempre passo da medida e só fico desmedida quando falo de você porque não meço sentimentos, pra mim são infundados argumentos pra dizer que gosto um pouco ou mais ou menos.
Eu às vezes fico usando minhas medidas erradas pra escrever essas palavras, mais e ai que medidas eu poderia usar? Eu só posso falar de mim e medir minhas palavras e pensamentos.

Um comentário:

Saia de Salto disse...

A sociedade é mesmo assim, baseados em "medidas" ela aponta quem é o melhor de quem